© 2018 GIMJF || Grupo de Interesse - Movimento Jovem na Fisioterapia

 

​​

      ​​​Documento Síntese

FÓRUM DO JOVEM NA FISIOTERAPIA - Porto 2016




   Decorreu nos dias 17 e 18 de Setembro de 2016 nas instalações da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto, o III Fórum Jovem na Fisioterapia dinamizado pelo Movimento Jovem na Fisioterapia.

    No primeiro momento de sábado contou-se com a presença da Associação Portuguesa de Fisioterapeutas na figura do seu Presidente, o Fisioterapeuta Emanuel Vital. Sob a temática O Futuro da Fisioterapia, a conversa caminhou no sentido de elucidar e dar conhecimento aos participantes sobre o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido por esta nova direcção. Foram partilhadas as dificuldades sentidas de ter um corpo associativo de reduzidas dimensões atendendo o universo de profissionais e os constrangimentos que esse facto promove no diálogo com os diversos parceiros sociais.

    À tarde, no mesmo dia, tomou lugar a mesa subordinada ao tema Entrada no Mercado de Trabalho, que contou com a presença da Entidade Reguladora da Saúde, na figura da Drª. Ana Ferrete, e com a Contabilista Vânia Campos.

  Começou por se diferenciarem os Serviços de Medicina Física e Reabilitação dos Gabinetes de Fisioterapia nomeadamente em assuntos de matéria legal que sejam competência da Entidade Reguladora da Saúde como área do espaço, ventilação, exigências de material e colaboradores.

  Seguidamente, procurou-se esclarecer questões que se prendiam com a abertura de actividade em enquanto Fisioterapeuta na Autoridade Tributária e emissão de recibos-verdes e a sua tributação em sede de IRS. Foram ainda abordadas questões sobre medidas de incentivo ao emprego jovem pelo IEFP como os ‘’Estágios Profissionais’’.

   No início dos trabalhos de domingo, houve uma apresentação com o Fisioterapeuta Renato Andrade e moderação do Fisioterapeuta João Valeriano sobre modelos a adoptar na construção do Curriculum Vitae e cuidados a ter no seu preenchimento nomeadamente na informação prestada e na relevância que a mesma tem para o cargo a que se pretende candidatar. Houve espaço para se debater sobre a importância que as redes profissionais online têm na divulgação do perfil pessoal e profissional de um indivíduo chegando à conclusão que esta poderá ser uma ferramenta útil, mas que aparenta estar em fase embrionária no ramo da Saúde em Portugal.

    Ainda no período da manhã, com a presença dos Fisioterapeutas Luísa Pedro e Nuno Silva, abrimos o debate Evidência Científica vs. Prática Clínica. Com os contributos de ambos e numa sessão de perguntas abertas, é unânime, entre os presentes, que a prática deve ser sustentada na boa evidência científica e que o transporte dos conteúdos científicos para a prática clínica deve ser criteriosa e criticamente efectuado procurando entender se os mesmos se reportam e são passíveis de ser aplicados na população em que os Fisioterapeutas habitualmente se enquadram.

   Com a tarde demos início ao penúltimo momento do Fórum Jovem na Fisioterapia com a presença do Fisioterapeuta Hugo Belchior na palestra Fisioterapeuta Empreendedor. Em jeito de conversa informal, começou por apresentar o seu percurso académico e profissional. De forma resumida apresentou as características que um empreendedor deve reunir em si e a sua capacidade de idealizar algo que considere que vá acrescentar valor ao mercado que pretende explorar. Alerta também para a importância de avaliar a pertinência do seu projecto na comunidade e se de facto ele surgirá como uma resposta a uma necessidade identificada.

   Deu exemplos de empreendedorismo em Portugal na área da Fisioterapia como é o caso do grupo +Fisioterapia e a Hora do Fisio.

   Finalizando, abriu-se um momento de networking com os presentes no qual se procurou recolher os seus contributos entendendo em que medida o Movimento Jovem na Fisioterapia se poderia expandir, que momentos poderá criar e que alterações pode implementar na sua estratégia de eventos, comunicação e publicidade.